segunda-feira, 28 de março de 2011

E se (...)


E se o sol acabar de raiar os nossos dias, e se a lua parar de iluminar as nossas noites, e se a chuva sonhar em findar para sempre, e se as flores resolverem deixar de florir todas as manhãs, e se todos os pássaros deixassem de cantar, se o mar deixasse de receber todas as nossas reflexões e acabar por dar fim às suas maravilhosas ondas, dar fim à sua rebentação, encher de tristeza e “adormecer” permanentemente, e se o sorriso parasse de ser esboçado por todo os mundo, se todos os corações parassem subitamente de bater, todas as mentes decidissem parar de pensar, e se todos os sábios parassem de criar, se todas as crianças estranhamente parassem de brincar, e se todos os ventos encerrassem os seus sopros, se todas as arvores parassem de crescer, e se todas as estrelas resolvessem sumir eternamente?

Por fim, como será que o mundo ficará? Como será que eu ficarei? Como será que tu ficarás? Como será que cada qual ficará sem poder sonhar, se apaixonar ou se desiludir e chorar até mais não (sim, porque até isso se torna bom, até de chorar o ser humano sente falta).

Peço que me deixem apenas a mim e a ti, aos meus e aos teus sentimentos, às minhas e às tuas lágrimas, aos meus e aos teus carinhos, peço que o sol imita apenas um raio por dia para iluminar as nossas vidas, que me deixem apenas uma estrela para quando me perder, ela me possa guiar até ti, apenas o meu sorriso para te poder dar os bons dias bem encarada, apenas um sábio para criar o nosso futuro, apenas um brinquedo para que as nossas crias possam ser felizes, apenas uma flor, que não morra nunca, para que tu ma possas oferecer, apenas um pássaro para que a melodia não caia no esquecimento, apenas uma onda para que possamos mergulhar, apenas um sopro para que possamos sentir uma brisa todas as manhas, somente uma arvore para que eu possa gravar os nossos nomes, apenas meros pingos de chuva para que possamos aproveitar o nosso momento romântico, apenas e só um sonho, um pensamento, uma fragilidade, um sentimento!